As cigarrinhas-das-pastagens podem diminuir drasticamente a disponibilidade e a qualidade de gramíneas forrageiras, reduzindo sua capacidade de suporte das pastagens. É uma praga presente na América tropical. Tais características criam a necessidade de seu controle e manejo.


Uma forma de controle é selecionar gramíneas mais resistentes às cigarrinhas, entre as alternativas disponíveis ao produtor estão: B. brizantha cv Marandu, B. brizantha cv Piatã, Andropogon gayanus cv. Planaltina, Panicum maximum cv. Tanzânia, P. maximum cv. Mombaça, Panicum spp. cv. Massai, bem como o híbrido de Brachiaria denominado Mulato II. O controle químico pode ser utilizado com o objetivo de reduzir o nível populacional das cigarrinhas por meio da aplicação de inseticidas por ocasião do início da emergência dos adultos desses insetos.

A prática do controle biológico pode ser aplicada usando o fungo Metarhizium anisopliae, disponível comercialmente.
O manejo do pasto resultando em condições desfavoráveis ao desenvolvimento e sobrevivência de ovos e ninfas das cigarrinhas-das-pastagens também pode ser uma forma de controle. O controle das cigarrinhas-das-pastagens deve ser preventivo, sempre que possível.




Fonte:Site Embrapa