brs quenia panicum maximum min•     Hibrido de Panicum com elevado potencial de produção animal.
•     Maior facilidade de manejo.
•     Precoce, alto perfilhamento e elevada porcentagem de folhas de excelente qualidade nutricional.
•     Resistente as cigarrinhas e boa tolerância aos fungos foliares.
•     Ideal para sistemas intensivos de produção de carne e leite a pasto.
•     Intolerante ao encharcamento do solo.

Recomendações adicionais

O capim-BRS Quênia é recomendado para cultivo em solos de média e alta fertilidade nos biomas Amazônia e Cerrados. Exige precipitação anual mínima de 800 mm e períodos de, no máximo 6 meses. Não apresenta resistência a solos encharcados e, portanto, não pode ser plantada em áreas com problemas de drenagem, encharcamento ou sujeitas a alagamentos.

O capim-BRS Quênia tem alta resistência por antibiose às cigarrinhas Notozulia entreriana, Deois flavopicta, Mahanarva fimbriolata e Mahanarva sp e revelou-se moderadamente resistente aos danos causados pelas cigarrinhas adultas, compatível ao tanzânia.

O capim-BRS Quênia apresentou grau de resistência à mancha das folhas (Bipolaris maydis) superior ao tanzânia e semelhante ao mombaça e massai, porém inferior ao zuri. A BRS Quênia comportou-se com grau de resistência ao Pratylenchus brachyurus intermediário entre o milho BRS 2020 (suscetível) e o milheto ADR 300 (resistente) devendo ser usada com cautela em sistemas integrados de lavoura-pecuária onde há histórico de presença deste nematoide.

O principal diferencial dessa cultivar em relação às cultivares tradicionais Tanzânia e Mombaça é a melhor arquitetura de planta, com touceiras de menor tamanho, maior densidade de folhas verdes e macias, colmos tenros e menores porcentagens de material morto, o que facilita o manejo do pastejo e a manutenção da estrutura do pasto, mais favorável ao elevado consumo da forragem pelo gado.